fbpx
Minha história

Baiano de Esplanada, no litoral do estado, João Carlos Bacelar Batista nasceu em 9 de julho de 1957. A política corre nas veias do filho da professora Joanice Bacelar Batista e de Amélio Batista Filho, dentista e estrategista político.

Bacelar iniciou os estudos na Escola da Linha de Esplanada, o ginásio na Escola Padre Torrend de Dias D’Ávila e o secundário no Colégio Estadual Severino Vieira, em Salvador.

O postulante ao Palácio Thomé de Souza é bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), em 1979, e mestre em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas, em 1981, no Rio de Janeiro.

A bagagem política de Bacelar é extensa e antiga. Começou lá em 1982, quando exerceu o cargo de subsecretário de Administração da Prefeitura de Salvador, até 1985.

No período entre 1985 a 1987, foi presidente do Mobral/Fundação Educar e Assessor do Senado da República, de 1987 a 1992.
Logo após, exerceu seu primeiro cargo público como vereador da capital baiana pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), de 1993 a 1996, sendo eleito presidente da Casa em 1995.

No legislativo municipal de Salvador, Bacelar coordenou a Frente Nacional de Vereadores contra o Racismo e presidiu a Comissão Organizadora e o Encontro Nacional de Vereadores sobre o mesmo tema. Sempre atento às necessidades da capital baiana, principalmente visando oferecer melhor qualidade de vida a considerável parcela da população que vive nos bairros periféricos, o político tem forte relação com as comunidades de Itapuã, Nordeste de Amaralina e Boca do Rio.

Também foi presidente do Instituto de Previdência Social de Salvador (IPS), de fevereiro de 2001 a fevereiro de 2003. Lá, lutou pela ampliação da assistência ao idoso, através de grupos de convivência, com implantação de programas sociais e culturais. Ampliou e modernizou a rede de assistência médica e odontológica conveniada, beneficiando servidores, aposentados e pensionistas.

Exerceu seu segundo mandato como vereador de 1997 a 2000, pelo PMDB.

Na legislatura seguinte, foi suplente de vereador pelo Partido da Frente Liberal (PFL), entre 2000 a 2004, efetivando-se em fevereiro de 2003 e alcançando reeleição de 2004 a 2007 pelo antigo Partido Trabalhista Nacional (PTN), atual PODEMOS.

Nas eleições de 2006, como reconhecimento do trabalho que desenvolveu ao longo de sua carreira política, foi eleito para o primeiro mandato como deputado estadual da Bahia, para o período legislativo 2007-2011, pelo Partido Trabalhista Nacional (PTN). Já no primeiro ano como deputado estadual, tornou-se líder e presidente estadual do partido.

No legislativo baiano, foi vice-líder da Bancada de Oposição, cargo que também ocupou nos anos de 2007, 2008 e 2009, e titular das Comissões de Educação; Segurança Pública e Direitos Humanos; e da Promoção da Igualdade. Foi eleito pela imprensa baiana como Destaque Parlamentar do ano de 2009.

Foi reeleito deputado estadual entre 2007 a 2011. Movido a desafios, foi Secretário de Educação de Salvador, até 2013. Sua gestão foi marcada por muitos benefícios para a educação municipal. Nela, os professores receberam o maior reajuste concedido à categoria nos últimos tempos e as unidades escolares passaram por reforma, atingindo cerca de 70% do total da rede.

Foi responsável pela reestruturação de 230 escolas da Rede Pública Municipal de Ensino. Revolucionou as gestões pedagógica e administrativa com a implantação de um modelo padronizado.

Bacelar também foi responsável pela sistematização do Programa de Alimentação Escolar. O projeto foi realizado em parceria com o Curso de Nutrição da Universidade Federal da Bahia, reconhecido pelo FNDE como o mais bem sucedido programa nutricional das redes públicas municipais de ensino.

Além disso, recebeu o prêmio do MEC de Inovação na Gestão Educacional – concedido pela implantação do Mapa Digital da Educação. Projeto que implantou a matrícula digital dos alunos e o diálogo institucional para a solução dos problemas cotidianos da gestão escolar.

Em outubro de 2014, Bacelar deu outro importante passo em sua trajetória política e foi eleito Deputado Federal pela Bahia pelo antigo PTN com 95.158 votos.

Em Brasília, continua trabalhando em defesa de uma educação pública de qualidade. Desde que assumiu o mandato em Brasília, exerce a função de titular da Comissão de Educação. Presidiu a Comissão Especial da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/15, que tornou permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A articulação junto ao Congresso rendeu o apelido de “Pai do Fundeb”.

É um dos vice-líderes da Minoria na Câmara, membro titular da Comissão Especial que analisa o projeto de lei que permite a comercialização de medicamentos baseados em cannabis sativa (PL 399/15) e da Comissão Especial que analisa o Novo Código Brasileiro de Trânsito.

Visando atrair mais recursos para os cofres públicos, gerar mais emprego e renda, Bacelar também atua como Coordenador da Frente Parlamentar Pela Aprovação do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil.

Em 2020, na coligação “Salvador dos Bairros”, o podenista se une a Magno Lavigne (Rede Sustentabilidade) e ao PTC, na disputa pela Prefeitura de Salvador, com objetivo de melhorar os bairros da capital e dar mais dignidade àqueles que vivem nas periferias

Propaganda Eleitoral
Coligação: “SALVADOR DOS BAIRROS É SALVADOR DE TODOS” – Podemos/Rede/PTC • CNPJ: 38.550.823/0001-63